Boas-Vindas

Amigos,
Esta é uma net-expressão da
QUINTA DA BORRACHA, vocacionada para os que têm a felicidade de a conhecer, e não só..., que permite partilhar e divulgar as suas actividades e belezas naturais, comentar assuntos e publicar intervenções.
Um local livre, que não faz bem nem mal, antes pelo contrário, mas que pode dar muito ... tanto quanto todos quisermos dar.

Todas as fotos de natureza foram obtidas na própria Quinta
Convido-vos à leitura ansiolítica e ao comentário...

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Ser Feliz

Comentário-resposta do Zeus à Tx ^^ no artigo 'Tributo às gerações ...'

"A águia não tem medo de voar só
Nem de fazer da aventura uma paixão
Porque os seus pais lá do sítio do seu ninho
Vigiam o seu voo com atenção

... ... ... ... ... ... ... ...

Uma mulher é sempre linda
Quando se gosta muito dela
Diz-se, então, aos quatro ventos
Que não há outra como ela


A Isabel retribui os beijinhos e deseja que sejas sempre muito feliz!

***************

SER FELIZ

Ser feliz é ...
nascer e crescer em liberdade
correr alegre e a vida agarrar
fazer tudo aquilo que gostamos
acordar bem e ver o Sol brilhar

ver realizados os nossos sonhos
dar à companheira o nosso carinho
coabitar com quem nos é querido
ajudá-los a seguir o bom caminho

ter lealdade a quem gosta de nós
não atraiçoar o nosso pensamento
ser na sociedade um elo para a paz
não fazer da inveja um sentimento

ter filhos, ter netos e sermos avós
vê-los crescer com saúde a trabalhar
ensinar-lhes a ver os valores do bem
saber que lutam para depois triunfar

ver reconhecido o nosso passado
envelhecer junto do outro alguém
usufruir do direito de ser feliz
não contrariar esse direito a ninguém

POR FAVOR,
DEIXEM-ME SER FELIZ!

18 de Outubro de 2007 18:35"

1 comentário:

Tx ^^ disse...

Do dia 19.10.2007

(sem tempo para passar no pc fica-se pelas paginas...)

Nao Sei Nem Nunca Soube

Nao sei o que é sonhar mais alto
Nao sei o que é voar baixinho
Nunca serei daqueles a dar o salto
Do ramo mais tosquinho

Nunca soube estimar
O que já me pertencia
Nunca soube partilhar
O que dos outros recebia

Nao sonho, uma vez que nao me deito,
E talvez por pertencer aos Arinto
Nao escrevo apenas porque terei geito
Mas tambem por tentar escrever o que sinto

Nunca quis abandonar
O ninho familiar
Nunca quis deixar de ser
A adolescente que nao quer crescer

Nao sei o que é sonhar
Nao sei o que é voar
Nunca deixei de amar
O solo que posi, o coma do meu tentar.